Última hora
This content is not available in your region

Arménios na Turquia contra medida do parlamento francês

Arménios na Turquia contra medida do parlamento francês
Tamanho do texto Aa Aa

A aprovação pelo parlamento francês do projeto-lei que torna ilegal negar o genocídio arménio de 1915 provocou a consternação na Turquia.

Centenas de pessoas protestaram em frente à embaixada de França em Ancara, com o Partido Nacionalista a liderar.

Para a comunidade arménia, a viver na Turquia, este reconhecimento acaba por ser contraproducente.

Robert Koptas, jornalista de um dos jornais arménios de maior prestígio na Turquia considera que a medida veio desviar a atenção do trabalho que se tem vindo a realizar, nos últimos anos.

“Neste momento, enquanto não houver consciência na Turquia sobre a questão, enquanto o povo turco não souber o suficiente sobre isso, punir indivíduos que negam esse passado num país estrangeiro, como em França, sentenciá-los a um ano de prisão e a pagar uma pesada multa de 45 mil euros, não me parece certo,” conclui o jornalista.

Koptas evidencia ainda que “a reação na Turquia é, em geral, extrema. Por isso, esta lei vai prejudicar os nossos esforços para discutirmos o assunto. Desvia a atenção do nosso diálogo com a sociedade e dá mais argumentos aos nacionalistas e a todos aqueles que negam esse passado. Quando França limita a liberdade de expressão, as restrições à liberdade de expressão aqui, ficam legitimadas.”

Na Assembleia turca, o grupo de amizade franco turco cessou funções. Os membros decidiram, desta forma, protestar contra a medida do parlamento francês.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.