Última hora
This content is not available in your region

Manifestantes pedem demissão do presidente alemão

Manifestantes pedem demissão do presidente alemão
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de manifestantes exigiram em Berlim a demissão do presidente alemão, Christian Wulff, na sequência do escândalo com a compra de uma casa, quando era ministro-presidente da Baixa-Saxónia.

Muitos brandiam sapatos, numa referência ao mediático protesto de um jornalista iraquiano contra o ex-presidente norte-americano George W. Bush em Bagdade.

Uma manifestante diz que Wulff “parece querer aguentar-se e não compreende sequer a situação. Se não tem instinto político, não devia estar metido em política. Pode ter chegado ao cargo, mas não deve manter-se”.

No entanto, uma sondagem revela que 56 por cento dos alemães acreditam que Wulff deve continuar na presidência, apesar dos esforços malsucedidos do chefe de Estado para esconder o escândalo.

Numa entrevista televisiva, o presidente reconheceu ter cometido um “erro grave” ao tentar impedir o jornal Bild de revelar o caso.

Num artigo publicado a meio de Dezembro, o jornal alemão disse que Wulff recebeu em 2008 um empréstimo de 500 mil euros, a juros mais baixos do que os do mercado, da parte de um empresário amigo para a compra de uma casa.

Durante a preparação do artigo, o presidente terá deixado uma mensagem ameaçadora no correio de voz do editor do jornal.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.