Última hora

Revolta síria pode acabar em guerra civil

Revolta síria pode acabar em guerra civil
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Repressão e violência continua a ser a resposta aos protestos contra Bashar al-Assad em várias cidades sírias.

A ameaça de uma guerra civil com efeitos nefastos em toda a região é cada maior. Em diverso locais começam a registar-se confrontos armados, o que significa que a oposição organiza uma resistência militar.

As forças de segurança mataram um manifestante na cidade de Idlib, no noroeste, protestos que surgiram após as orações desta sexta-feira, também em algumas áreas da capital, Damasco, assim como na cidade portuária de Latakia.

Os sírios protestam desde março, apesar da dura repressão que segundo as Nações Unidas, já matou mais de 5.000 pessoas.

O secretário-geral das ONU, Ban Ki-moon, encontra-se no Líbano para discutir ataques contra capacetes azuis no sul do país e sobre o tribunal apoiado pela ONU que indiciou homens do Hezbollah pelo assassinato de Rafik al-Hariri, mas é a revolta na vizinha Síria que mais o preocupa.

A viagem do secretário-geral provocou agitação mesmo antes de sua chegada ao Líbano.

Centenas de manifestantes pro-Assada empunharam bandeiras e slogans para criticar a presença do Ban ki-moon, em Beirute.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.