A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Eleições legislativas no Cazaquistão

Eleições legislativas no Cazaquistão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As urnas de voto já encerraram no Cazaquistão. Os cazaques foram este domingo chamados a eleger 98 deputados do parlamento.

Quatro horas antes do final do voto, a taxa de participação estagnava em quase 70%, mas nas principais cidades, Astana e Almaty, onde reside a classe média, não ultrapassava os 30%.

O presidente Nursultan Nazarbaiev mostrou-se confiante que os cidadãos fariam a escolha certa.

A escolha certa, para o homem que lidera o país desde a independência da União Soviética, é o seu partido, presente sem oposição no anterior parlamento.

O lider do partido social democrata, o único partido de oposição, quer representatividade e defende que o parlamento tem que tornar-se um espaço respeitável na sociedade e não um centro lobista de um certo grupo oligarca. A palavra dos deputados tem que fazer-se ouvir de maneira a que cada cidadão do Cazaquistão possa resolver os problemas através do seu deputado”, afirmou.

Ainda com a votação a decorrer, a oposição denunciou situações pouco claras, com pessoas a votarem diversas vezes, em diferentes assembleias de voto.

Os observadores da Organização de Segurança e Cooperação na Europa estão a acompanhar os escrutínio. Até agora, nenhuma eleição realizada no Cazaquistão desde 1991 foi considerada pela OSCE como democrática.