Última hora
This content is not available in your region

Itália: Polícia quer ouvir jovem moldava que jantou com comandante do Costa Concordia

Itália: Polícia quer ouvir jovem moldava que jantou com comandante do Costa Concordia
Tamanho do texto Aa Aa

A justiça italiana prossegue o inquérito aos acontecimentos de sexta-feira passada. O comandante Francesco Schettino admitiu que a aproximação à ilha de Giglio foi um erro mas defendeu a sua conduta posterior, em particular, afirma que a sua ação salvou milhares de vidas e que não abandonou o navio.

Os investigadores tentam reconstituir as últimas horas do comandante antes do acidente e interessam-se por uma testemunha: Domnica Cemortan, uma moldava de 25 anos. Alegadamente, a jovem, que terá trabalhado para a companhia mas estava de férias, não fazia parte da lista de passageiros nem dos membros da tripulação. Numa entrevista a uma televisão moldava, Cemortan corrobora a versão do comandante. De acordo com várias testemunhas, a jovem esteve sempre muito próxima de Schettino, jantaram juntos e chegaram a terra no mesmo salva-vidas.

Entretanto, cerca de 70 passageiros chegaram a acordo para apresentar uma queixa comum e alguns decidiram processar a companhia Costa Crociere que também se afirma parte lesada neste acidente.