Última hora

Colonos israelitas forçados a deixar Migron mais cedo que o previsto

Colonos israelitas forçados a deixar Migron mais cedo que o previsto
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de 50 famílias judaicas têm que abandonar Migron, o maior colonato selvagem da Cisjordânia até finais de julho.

A decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal israelita que rejeitou o acordo entre o governo e os colonos que previa a transferência dos habitantes até 2015.

Segundo a justiça, as casas foram edificadas em propriedade privada palestiniana.

A ONG israelita Paz Agora já se congratulou com a decisão do Supremo Tribunal e considera que é tempo das terras de Migron serem devolvidas aos seus proprietários.

Na última semana, o Conselho dos Direitos do Homem da ONU aprovou a formação de uma missão internacional de inquérito às consequências dos colonatos israelitas nos territórios palestinianos.

Uma resolução apresentada pelo Paquistão, em nome da Palestina, e criticada pelo Estado hebraico.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.