Última hora

China "amordaça" Internet depois de rumores sobre golpe de estado

China "amordaça" Internet depois de rumores sobre golpe de estado
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades chinesas encerraram este sábado 16 sítios da internet, tendo detido pelo menos seis pessoas, oficialmente, para evitar a propagação de rumores sobre um eventual golpe de estado.

A principal plataforma de “microblogging do” país, Weibo, o “twitter chinês” anuncia também a suspensão da publicação de comentários até ao dia 3 de Abril.

A operação de censura ocorre depois da difusão de vários comentários na rede sobre um eventual golpe de estado após a demissão de um dos mais carismáticos responsáveis do partido comunista, há duas semanas.

O país, que conta mais com a maior comunidade internautas do mundo, mais de 513 milhões, tinha já bloqueado várias redes sociais estrangeiras como o Facebook ou o Twitter.

Vários internautas chineses afirmam ter sido alvo de pressões nos últimos dias depois da publicação de comentários sobre a alegada entrada em Pequim de tanques militares.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.