Última hora
This content is not available in your region

Mais de 5,6 milhões não têm trabalho em Espanha

Mais de 5,6 milhões não têm trabalho em Espanha
Tamanho do texto Aa Aa

A taxa de desemprego em Espanha bateu um novo recorde: cerca de 24,4% no primeiro trimestre deste ano. Mais de 5,6 milhões de pessoas não têm trabalho.

“Continuo a procurar e a procurar. Aceitei tudo o que apareceu, mas há pouca coisa e só permite viver um dia de cada vez, porque sou solteira e tenho uma filha que está a estudar. Agora, estou quase na rua”, queixa-se Magdalena Dumitru.

“É muito negativo. O prémio de risco está a subir todos os dias. Cortaram o rating de Espanha e está cada vez pior. Vejo o futuro muito incerto, muito negativo. Acho que o Governo está a agir muito mal”, diz Alberto Lopez, um economista de 61 anos no desemprego.

O aumento do número de desempregados no primeiro trimestre vai custar 953 milhões de euros ao Estado.

“Os dados do desemprego levam-nos ainda a trabalhar com mais intensidade e a abordar as reformas e as medidas que são necessárias para que o nosso país cumpra os objetivos do défice e construa as bases do futuro crescimento e da criação de emprego”, afirmou a vice-primeira-ministra espanhola, Soraya Sáenz Santamaría.

Mais uma má notícia para o país ibérico. Na quinta-feira, a Standard & Poor’s já tinha cortado o rating de Espanha em dois níveis. A agência está preocupada com a trajetória das contas públicas e a evolução da economia, apesar da austeridade implementada pelo Governo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.