Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sismo político na Grécia: esquerda radical destrona PASOK - extrema-direita chega ao parlamento

Sismo político na Grécia: esquerda radical destrona PASOK - extrema-direita chega ao parlamento
Tamanho do texto Aa Aa

Os gregos prometeram e cumpriram. A eleição legislativa deste domingo foi cheia de surpresas. O PASOK, obrigado a conduzir o país na via da austeridade sofreu a sua maior derrota e passou para terceira força política da Grécia.
 
Os gregos passaram várias mensagens neste ato eleitoral e sobretudo mostraram aos dois maiores partidos que a alternância política já se conjuga no passado.
 
O partido mais votado, o conservador Nova Democracia não obteve mais do que 19 ou 20% dos votos. A esquerda radical do Syrizia é agora a segunda força mais votada, com 15 a 17% dos votos e poderá alcançar 47 lugares no parlamento.
 
Outra novidade é a entrada da extrema-direita no parlamento. As previsões apontam para que o partido neo-nazi alcance cerca de 10% dos votos e poderá eleger duas dezenas de deputados.
 
Para muitos analistas, é um verdadeiro sismo político que a Grécia está a viver esta noite. O lider do Pasok apela a um governo de unidade nacional, mas a tarefa não vais ser fácil e a instabilidade política é agora a grande preocupação.
 
De acordo com a constituição, o presidente deverá chamar o líder do partido vencedor a formar o governo; se este não conseguir, pedirá sucessivamente ao segundo e ao terceiro partido mais votados.
 
Se até ao dia 17 de maio não for alcançada uma solução, o presidente reunirá todos os partidos, para uma última tentativa de formar um executivo. Se tudo falhar, os gregos serão, de novo, chamados às urnas.