Última hora

Sírios foram às urnas mas a revolta continua

Sírios foram às urnas mas a revolta continua
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os votos dos 15 milhões de eleitores de um total de 24 milhões que têm acesso ao exercício desse direito, estão já a ser contados, mas não devem globalmente mudar o curso da revolta popular.

As ruas de Damasco, estavam esta manhã calmas dando uma imagem de normalidade que não se estende à totalidade do país.

Ainda que, o parlamento sirva apenas para legitimar as decisões presidenciais, estas são as primeiras eleições levadas a cabo depois da aprovação da nova constituição, há três meses.

A nova lei fundamental da Síria, cuja aprovação foi a primeira tentativa do regime travar a crise, permite a participação de outros partidos contra o partido do presidente, mas também limita o poder do chefe de Estado, que pode cumprir apenas dois mandatos de sete anos.

Em Damasco, o correspondente da Euronews entrou no parlamento sírio, vazio esta terça-feira, e conta que os novos elementos agora eleitos deverão em breve ocupar os seus lugares.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.