Última hora
This content is not available in your region

Execuções sumárias acompanham promessa da Síria em investigar Houla

Execuções sumárias acompanham promessa da Síria em investigar Houla
Tamanho do texto Aa Aa

Após a onda de choque provocada pelo massacre de Houla, a violência na Síria não parou. Treze cadáveres foram descobertos em Deir Ezzor, na parte este do país. Aparentemente, trata-se de vítimas de execuções sumárias.

A indignação internacional tem tido consequências muito concretas: vários países, como os Estados Unidos, França, Alemanha, Turquia e Japão, deram ordem de saída aos representantes diplomáticos sírios.

Na ONU, o embaixador de Damasco tenta minimizar os danos. Referindo-se a Houla, Bashar Jaffari, garantiu que já foi criada uma comissão de inquérito, à qual o presidente deu três dias para concluir as investigações sobre os autores dos crimes cometidos naquela localidade.

O Conselho de Segurança da ONU continua a não conseguir alcançar uma posição comum, divergindo entre os que pretendem reforçar as sanções contra Bashar al-Assad e a Rússia, que considera “contraproducente” o isolamento da Síria.