Última hora

Última hora

Robôs ao leme

Robôs ao leme
Tamanho do texto Aa Aa

Um projeto europeu de investigação está a desenvolver robôs para otimizar a inspeção dos navios. O objetivo é fornecer informações precisas aos inspetores e poupar tempo e dinheiro.

“O projeto consiste em inspecionar os navios com a ajuda dos robôs”, descreve um dos responsáveis do projeto, Leonidas Drikos. “Criámos uma frota de robôs, de diferentes tipos, que fazem o trabalho.”

O casco de aço do navio é invadido pela “patrulha” de robôs. Cada um tem uma tarefa específica para garantir que o barco esteja em condições para enfrentar o mar.

Existem quatro tipos de máquinas: um robô magnético que escala o casco; um robô subaquático para a inspeção dos tanques de lastro; um veículo aéreo autónomo para a inspeção visual e um robô com faixas magnéticas que inspeciona o porão.

As máquinas passam a pente fino cada parte do navio e captam imagens. “Obtemos vídeos que nos dão uma visão geral do estado de degradação ou da qualidade da estrutura e do nível da corrosão”, explica a investigadora Alessia Vergine. “Obtemos, também, imagens detalhadas de partes específicas onde, depois, devemos intervir”, conclui.

O projeto europeu de investigação reúne as sociedades de classificação dos navios e engenheiros de robótica. O primeiro passo é estudar como os robôs lidam com o ambiente marítimo.

“Percebemos, imediatamente, que operar em condições de elevada humidade, em superfícies que não estão completamente limpas, em espaços muito sujos, ou até molhados, cria alguns problemas para estas tecnologias”, explica Alessia Vergine.

A aprendizagem é intensiva mas a equipa acredita que o projeto vai chegar a bom porto. Leonidas Drikos está confiante. “Sabemos que o conceito funciona. O próximo passo é trabalhar em condições muito mais exigentes. Ainda estamos em testes, mas a minha expectativa é que os robôs tenham uma aplicação real.”