Última hora
This content is not available in your region

Prisioneiros palestinianos em greve de fome

Prisioneiros palestinianos em greve de fome
Tamanho do texto Aa Aa

Um especialista das Nações Unidas exigiu esta sexta-feira a Israel a libertação imediata de dois palestinianos detidos administrativamente e que se encontram em greve de fome prolongada.

Mahmoud El Sarsak de 25 anos não come há 81 dias. Foi preso em 2009 quando se deslocou à Cisjordânia para disputar um jogo pela seleção nacional palestiniana.

“Nunca mais o vimos. Só temos notícias dele através dos advogados. Ele era um apaixonado pelo desporto. Quando lhe dizíamos que íamos ao mercado ele respondia que tinha de ir jogar ou treinar. A sua vida era o campo de futebol”, disse a mãe de Mahmoud.

Esta sexta-feira em todo o território palestiniano manifestantes exigiram a libertação imediata do atleta da seleção nacional, temendo pela sua vida.

“Receamos que se houver uma situação de emergência, o que é possível durante durante uma greve de fome prolongada, especialmente se se tratar de uma insuficiência cardíaca, não poderão proporcionar-lhe assistência adequada”, afirmou Anat Litvin da organização israelita Médicos pelos Direitos Humanos.

Akram Rikhawi, o outro detido, está em greve de fome há 56 dias.

Ambos recusam alimentar-se apesar de outros prisioneiros palestinianos terem posto fim às suas greves de fome.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.