Última hora
This content is not available in your region

Juros espanhóis em novo máximo

Juros espanhóis em novo máximo
Tamanho do texto Aa Aa

Os juros da dívida espanhola atingiram um novo máximo esta segunda-feira, depois do ministro das Finanças Luis de Guindos ter dito que a economia espanhola precisaria de 100 mil milhões de euros para financiar a banca.

Os analistas dizem que o país só vai poder financiar a dívida durante alguns meses e vai, provavelmente, ter de recorrer a um plano de resgate da troika, à semelhança do que já aconteceu com Portugal, Irlanda e Grécia.

Em apenas uma semana, a taxa de juro a 10 anos ganhou quase um ponto percentual. Subiu dos 6,3% para os 7,25% atingidos esta segunda-feira. A situação na Grécia também está a contribuir.

“A bomba na Grécia ainda não explodiu e pensamos que vai ser difícil formar um governo. Por isso, os prémios de risco, em Espanha e nos outros países periféricos, deve continuar a subir e os mercados devem continuar a esticar a corda. A bola está no campo da Europa e dos políticos europeus, eles é que devem agora tomar as decisões certas, a médio e a longo prazo”, diz o analista Juan Pedro Zamora.

A ajuda aos bancos espanhóis deve fazer aumentar a dívida pública para os 90% do PIB.

Os mercados temem que os problemas financeiros da Espanha não se limitem aos bancos. Um resgate ao país pode custar muito mais que a todos os outros países ditos periféricos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.