Última hora
This content is not available in your region

Grécia viola termos do resgate financeiro

Grécia viola termos do resgate financeiro
Tamanho do texto Aa Aa

Um relatório acabado de publicar na Grécia afirma que o Estado grego recrutou cerca de 70 mil funcionários públicos no espaço de dois anos.

As principais áreas contempladas foram a administraçao local, saúde, polícia e cultura.

O recrutamento viola os termos do resgate financeiro assim como o compromisso assumido pelas autoridades públicas de reduzirem o número de funcionários públicos.

O relatório reúne informações compiladas pela troika composta pela União Europeia, FMI e Banco Central Europeu e dados fornecidos pelo antigo ministro grego das finanças, George Zannias.

Segundo o funcionário, o número de funcionários públicos manteve-se estável em 2011 mesmo apesar de mais de 93 mil funcionários terem abandonado os postos desde 2010.

“A Grécia atravessa uma altura crítica. O que precisamos é de invertir a atual situaçao. Queremos renegociar com a troika. Todos sabemos que o desenvolvimento e a recuperçao da economia tem uma importancia fundamental”, afirma o ministro do desenvolvimento, Kostis Hatzidakis.

O escândalo surge na mesma altura em que o desemprego na Grécia atinge valores recorde. No primeiro trimestre deste ano, a taxa de desemprego atingiu os 22,6%, próximo dos mais de 24% que se verificam em Espanha.

Os jovens entre os 15 e 24 anos são o grupo mais afetado. A taxa de desemprego ronda os 52,7%; em 2011 o mesmo grupo etário apresentava uma taxa de desemprego de 39,6%.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.