A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

O regime sírio na mira do WikiLeaks

O regime sírio na mira do WikiLeaks
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A organização anuncia em Londres a publicação de mais de dois milhões de correios eletrónicos de figuras políticas sírias, ministérios e empresas associadas, que vão de agosto de 2006 a março de 2012.

A porta-voz do site, Sarah Harrison diz que “os ficheiros mostram o funcionamento do governo e da economia síria, mas também expõem as ligações das empresas ocidentais, que dizem uma coisa e fazem outra”.

A organização terá a colaboração de parceiros nos Estados Unidos, Líbano, Egito, Alemanha, França, Itália e Espanha.

O primeiro documento revela que a gigante italiana de defesa Finmeccanica tem fornecido equipamentos de comunicação para o regime sírio desde o início do conflito.

O WikiLeaks foi proporcionado pela SELEX Elsag, subsidiária da Finmeccanica segundo o documento do WikiLeaks publicado na revista italiana L’Espresso.