Última hora
This content is not available in your region

Espanha vê disparar taxas de juros da dívida

Espanha vê disparar taxas de juros da dívida
Tamanho do texto Aa Aa

Soa o sinal de alarme em Espanha após o leilão da dívida de curto e médio prazo esta manhã. Madrid conseguiu vender 2,98 mil milhões de euros, quase o montante pretendido, mas as taxas subiram e a procura desceu.

No caso dos títulos a cinco anos, as taxas dispararam de 6,04% para 6,45%, o valor mais alto de sempre. Já a sete anos, as “yields” subiram de 6,07% para 6,7%, enquanto, no mercado secundário, as obrigações a dez anos ultrapassaram de novo os sete%.

Javier Ferrer, analista na Ahorro y Corporacion, defende: “Os custos que o Tesouro tem de pagar pelas obrigações a longo prazo são muito elevados. Há ainda muitas dúvidas em relação a Espanha sobre quais serão as condições do resgate. O que vai acontecer amanhã com a assinatura e o acordo no Memorando de Entendimento é muito importante”.

As condições do plano de recapitalização estarão na mesa dos ministros das Finanças da zona euro, esta sexta-feira.

Madrid pediu até cem mil milhões de euros para ajudar os bancos, os principais compradores da sua dívida. Já a hipótese de usar o dinheiro para fazer baixar as taxas de juro da dívida, a Comissão Europeia deixou um não claro.