A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Estímulo fiscal" poderia travar aumento de desconfiança na zona euro

"Estímulo fiscal" poderia travar aumento de desconfiança na zona euro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A desconfiança dos mercados financeiros na zona euro continua a alastar, como revelam as perspectivas negativas da agência Moodys para Alemanha, Holanda e Luxembrugo, países ricos da moeda única.

Um analista do centro de estudos Bruegel disse à euronews que as medidas de Bruxelas não convencem.

“O executivo europeu dificilmente é credível quando diz que há progressos no sentido de uma união bancária e no sentido de uma maior integração da zona euro. Isso tem impacto no mercado e é como se soasse uma espécie de alarme, que evidencia que os investidores perderam a confiança e que vendem as suas posições, temendo perder mais dinheiro do que aquele que já perderam”, argumentou Guntram B. Wolff.

Apesar das decisões de salvar de imediato os bancos espanhóis e de criar uma rede de segurança bancária europeia no futuro, os mercados continuam céticos. O analista considera que há que abrir os cordões à bolsa de outra maneira.

“Precisamos de um estímulo fiscal ao nível da zona euro, precisamos de uma política monetária mais flexível que a atual porque as taxas de juro ainda são muito altas e precisamos de mais liquidez na zona euro. Ou seja, precisamos de todo um pacote de forte estímulo económico na zona euro”, acrescentou Wolff.

A espiral de desconfiança alimenta-se, esta terça-feira, com a divulgação de quebras no setor produtivo privado (serviços e manufaturas) e com as altas taxas de juro pagas por Espanha e Itália para a sua dívida pública.