A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Alepo, a "mãe de todas as batalhas"

Alepo, a "mãe de todas as batalhas"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Começou a batalha de Alepo, aquela a que o governo sírio chama “a mãe de todas as batalhas”.

As forças governamentais lançaram fortes bombardeamentos e um ataque terrestre à segunda cidade da Síria, com o objetivo de desalojar os rebeldes, que controlam vários bairros da cidade.

A comunidade internacional teme um novo banho de sangue. A violência na Síria dura há já 16 meses.

Aumentam as pressões para uma intervenção militar internacional, que até agora tem sido bloqueada na ONU pela Rússia e pela China.

De visita a Londres, o primeiro-ministro turco Recep Tayyp Erdoğan esteve com David Cameron e disse que não era possível continuar como mero espetador: “Há um aumento da violência em Aleppo e o governo da Síria falou no uso de armas de destruição maciça. Não podemos continuar sendo meros observadores ou espetadores destas ações”.

Os combates continuam também em Damasco. A capital síria voltou, há uma semana, a cair nas mãos das forças governamentais, depois de uma sangrenta batalha com os rebeldes.