Última hora
This content is not available in your region

Monitores suspensos por jejuarem no Ramadão vão ser reintegrados

Monitores suspensos por jejuarem no Ramadão vão ser reintegrados
Tamanho do texto Aa Aa

Para evitar a polémica, o autarca da cidade de Gennevilliers, nos arredores de Paris, anunciou que vai reintegrar os quatro monitores de um campo de férias do sudoeste do país, suspensos por jejuarem durante o Ramadão.

Após a visita de um inspetor ao espaço, as autoridades alegaram que a recusa de comer ou beber por parte dos funcionários colocava em risco a segurança das crianças.

Os monitores acabaram por ser suspensos a 20 de julho. O caso, no entanto, chocou a comunidade muçulmana e deverá assumir contornos ainda mais sérios se a queixa em tribunal seguir em frente.

O Conselho Francês da Fé Muçulmana já afirmou que vai apoiar os instrutores na contestação ao município.

Em comunicado, a autarquia diz agora que não vai denunciar a violação do contrato de trabalho e decidiu que não vai obrigar os monitores a almoçar no mês de agosto.

“Para nós não se trata de um problema de discriminação. A origem de uma cláusula de trabalho específica remonta a um acidente que tivemos no passado, o que implica que a autarquia – enquanto organizadora – assuma as responsabilidades neste caso particular”, diz o autarca comunista, Jacques Bourgoin.

A autarquia justificou a decisão lembrando que há três anos uma criança ficou gravemente ferida quando viajava num veículo conduzido por uma instrutora que não estava a comer.

Os muçulmanos devem abster-se de ingerir alimentos entre o nascer e o por do sol durante o mês do Ramadão.