Última hora

Síria: Contrainformação no violento ataque a Alepo

Síria: Contrainformação no violento ataque a Alepo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Forças governamentais sírias lançaram esta quarta-feira um feroz ataque às forças rebeldes. Cerca de 20 mil soldados fiéis a Bashar al-Assad, com forte apoio aéreo, cercaram a cidade de Alepo.

Com as explosões e os tiros a serem uma constante, um dos últimos balanços pela organização Human Rights Watch aponta para pelo menos 37 mortos, dos quais 17 serão civis.

Relatos a partir do terreno dão conta de que os militares às ordens de Bashar al-Assad terão assumido o controlo do distrito de Saladin, no sudoeste de Alepo. As imagens de satélite a que tivemos acesso mostram as crateras provocadas pelas bombas na cidade.

Fonte da Humans Right Watch refere, porém, que ainda se ouvem tiros e que nada parece estar resolvido em Saladin. O Exército de Libertação da Síria, por seu lado, garante que o grupo não perdeu Saladin, apenas abandonou um edifício que terá ruído, provavelmente, face ao forte bombardeamento da força aérea.

É a outa guerra, a da contrainformação, que também se faz sentir na Síria, à margem dos tiros, das bombas e dos aviões que sobrevoam Alepo.

A Amnistia Internacional condenou o violento ataque à bomba protagonizado pelas forças militares às ordens de Bashar al-Assad.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.