A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Risco de recessão na Alemanha

Risco de recessão na Alemanha
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Aumentam os receios de uma recessão na Alemanha no segundo semestre. O ministro alemão da Economia evocou o peso da crise do euro sobre a economia do país para reduzir as expetativas em torno dos dados do crescimento do segundo trimestre, esperados na próxima semana.

Em julho, a taxa de inflação, em termos harmonizados e anuais, caiu para 1,9%, pela primeira vez desde dezembro de 2010.

Berlim, que durante os três anos da crise nunca deixou de ser o motor da economia europeia, tem acumulado fracos dados. As vendas a retalho recuaram e em relação à queda das exportações e das importações, o analista Robert Halver defende: “A economia global ainda não recuperou. Ainda cresce, mas não como antes. A Alemanha, enquanto país exportador, sofre com isso”.

As exportações caíram, em junho, 1,5%, devido à crise entre os parceiros europeus e à desaceleração da China. As encomendas às indústrias alemãs estão a recuar e a produção também.

Berlim espera agora que as baixas taxas de juro e o robusto mercado do trabalho, com um taxa de desemprego de 6,8%, em julho, permita relançar a procura interna. Mas não é certo, já que a maioria dos alemães teme que o pior está para vir.