A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Vatileaks" a julgamento

"Vatileaks" a julgamento
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Vaticano vai julgar o ex-mordomo do Papa e o cúmplice, envolvidos no escândalo conhecido como “Vatileaks”.

A Santa Sé revelou também pela primeira vez o nome do cúmplice. Trata-se do técnico de informática Claudio Sciarpelletti, um funcionário
do governo central do Vaticano.

O ex-mordomo e o cúmplice são acusados da divulgação de documentos confidenciais do papa Bento XVI.

Maurizio Bellacosa, professor de direito criminal law na Universidade de LUISS: “O Sr. Gabriele não tem cadastro, portanto, as circunstâncias serão atenuadas e assim o castigo final deverá ser inferior ao máximo de seis anos.”

“De acordo com as regras do Estado do Vaticano, em qualquer fase do processo penal, o Papa tem o poder supremo de conceder a “graça”, uma espécie de perdão judicial.”

O porta-voz da Santa Sé, o padre Federico Lombardi aponta a data do julgamento para o final de setembro e diz desconhecer se o sumo pontífice irá conceder o perdão neste caso.

Em caso de condenação Gabriele, que trabalhou na intimidade do Papa, pode enfrentar uma pena de seis anos de prisão.

Este caso provocou uma das maiores crises no papado de Bento XVI.