Última hora

Última hora

África do Sul: Mineiros acusados da morte de colegas começaram a ser libertados

Em leitura:

África do Sul: Mineiros acusados da morte de colegas começaram a ser libertados

África do Sul: Mineiros acusados da morte de colegas começaram a ser libertados
Tamanho do texto Aa Aa

A justiça sul-africana libertou esta segunda-feira 47 dos 270 mineiros detidos por causa dos incidentes na mina de platina de Marikana no dia 16 de agosto. Os trabalhadores tinham sido acusados do homicídio dos 34 colegas abatidos pela polícia.

Os grevistas foram detidos ao abrigo de uma lei que data do tempo da segregação racial. Perante a indignação geral, o procurador recuou e suspendeu a acusação, embora tenha sublinhado tratar-se de uma medida provisória até à conclusão do inquérito judicial. Os 270 mineiros deverão ser libertados durante a semana. No dia 16 de agosto a polícia disparou contra uma multidão de grevistas, armada de catanas e de lanças. A paralisação era ilegal.

A tensão permanece elevada no setor mineiro na África do Sul. Esta segunda-feira, numa mina de ouro nos arredores de Joanesburgo, trabalhadores e antigos colegas despedidos recentemente envolveram-se num tiroteio que fez quatro feridos.