Última hora
This content is not available in your region

Mineiros sul-africanos regressam ao trabalho com aumento de 22%

Mineiros sul-africanos regressam ao trabalho com aumento de 22%
Tamanho do texto Aa Aa

Os mineiros sul-africanos de Marikana aceitaram um aumento de 22% dos salários e retomam, quinta-feira, o trabalho na mina de platina de Lonmin.

O acordo, que surgiu após a nova ronda de negociações, iniciada esta segunda-feira, prevê um prémio único de dois mil rands – cerca de 190 euros – se os mineiros retomarem o trabalho esta quinta-feira. Os grevistas acabaram por aceitar uma oferta do patronato de 22% de aumento. Ao início da greve, a 10 de agosto, exigiam um aumento de cerca de 300% dos salários.

Estas quase seis semanas de conflito deixaram, para trás, um rasto de violência policial e de morte, que chocou o mundo. Ao todo, 45 pessoas perderam a vida, durante o conflito. Trinta e quatro foram abatidos a tiro pela polícia, no raid de 16 de agosto, naquele que já foi considerado o maior massacre na África do Sul, desde o fim do apartheid, no início da década de 1990.

Este fim de semana, a polícia sul-africana fez o segundo maior raid nas minas de platina de Karee, perto de Marikana. Entrou nas barracas dos mineiros e apreendeu várias armas brancas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.