A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Gana vai cooperar com Costa do Marfim na investigação aos ataques rebeldes

Gana vai cooperar com Costa do Marfim na investigação aos ataques rebeldes
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Gana prometeu cooperar com a Costa do Marfim na investigação dos ataques da semana passada. As autoridades costa-marfinenses atribuem os ataques a partidários do antigo presidente Laurant Gbagbo refugiados no país vizinho. A fronteira entre a Costa do Marfim o Ghana foi encerrada na sexta-feira.

Na noite de quinta-feira à noite e na sexta-feira os rebeldes atacaram o posto fronteiriço de Noé e Abidjan, a capital comercial do país. Dois soldados e seis rebeldes morreram nestes ataques.

O governo costa-marfinense receia o regresso da guerra civil que no ano passado fez três mil mortos. Laurent Gbagbo não reconheceu a vitória de Alassane Ouattara que teve o apoio da comunidade internacional. Gbagbo foi entretanto capturado e transferido para Haia onde vai ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional.