A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Sombra nuclear junto a stocks de bacalhau

Sombra nuclear junto a stocks de bacalhau
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O submarino e vários navios russos abandonados no fundo do mar de Kara constituem uma ameaça nuclear. O alerta surge depois de uma expedição russa e norueguesa às águas do norte da Rússia, convertidas num cemitério de lixo nuclear na última metade do século passado.

Apesar de não terem sido detetadas fugas radioativas, os investigadores alertam para perigos. Wolfgang Renneberg, especialista em segurança nuclear, afirma que “uma catástrofe já começou. Quanto mais tempo estes submarinos continuarem debaixo de água, maior é o perigo e a probabilidade de que cada vez mais radioatividade escape e contamine o mar à volta”.

Em agosto, a Rússia publicou um relatório sobre os resíduos tóxicos despejados no mar de Kara durante décadas. Debaixo de água jazem, também, 17 mil contentores com substâncias radioativas.

O submarino K27 – afundado em 1981 e com reatores nucleares danificados – é o que gera mais preocupações. Os ambientalistas defendem que deverá ser retirado do fundo do mar.

A oeste do mar de Kara encontra-se o mar de Barents, um dos maiores stocks de bacalhau do mundo.