A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Ucrânia tem que rever regulação dos preços do gás natural

Ucrânia tem que rever regulação dos preços do gás natural
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia tem que rever os preços regulados do gás natural, que se encontram em níveis muito abaixo dos valores de mercado. Quem o diz é a Agência Internacional de Energia numa análise feita ao mercado ucraniano no que diz respeito à estratégia energética do país. De acordo com a AIE, os altos subsídios do Estado levam a um desperdício de consumo.

A diretora executiva da organização, Maria van der Hoeven, sublinhou que “neste momento o preço do gás natural não corresponde aos custos totais do gás e por isso é preciso rever os preços e ao mesmo tempo garantir que as pessoas mais pobres não saiam prejudicadas. Isto significa que os subsídios devem visar as pessoas mais pobres.”

O ministro da Energia ucraniano já prometeu tomar medidas de revisão dos preços do gás natural. Yuriy Boyko explicou que “está a preparar programas para reduzir os subsídios e eu estou seguro de que vamos encontrar o bom caminho para ajudar as pessoas pobres como mencionou a sr. van der Hoeven. E as pessoas que podem pagar vão pagar os preços de mercado.”

De acordo com o relatório da Agência Internacional de Energia, a Ucrânia devia acabar com o monopólio do gás do Estado, proprietário da companhia NaftoGas e atrair investidores estrangeiros para poder reestruturar o setor.

A agência concluiu também que as autoridades de Kiev podem poupar seis mil milhões de euros por ano se o consumo residencial de gás descer 30 por cento.