Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Pneus: a revolução do dente de leão

Pneus: a revolução do dente de leão
Tamanho do texto Aa Aa

“Temos aqui um pneu, onde temos alguma borracha de Guayule, em vez da borracha normal e natural que usamos como padrão nos nossos pneus. Aqui temos um pneu onde temos látex de dente de leão em vez de borracha normal e natural. “

Uma nova lista de ingredientes pode vir a ser utilizada para fazer pneus para automóveis.

O especialista em pneus da Apollo Vredestein fez alguns protótipos com borracha feita a partir de uma planta do deserto e um tipo de dente de leão.

O Feedback inicial dos condutores na pista de testes foi bom:

Peter Snel, Chefe de invetigação e desenvolvimento, Apollo Tyres: “Especialmente na aderência em piso molhado, vimos um desempenho ainda melhor em comparação com a borracha natural que usamos da árvore Hevea.

Na resistência ao rolamento, vemos que ainda há algum trabalho a ser feito em termos de composição, mas há um enorme potencial para usar a borracha nesses pneus. “

Os pneus foram desenvolvidos em laboratório durante um projeto de investigação da UE para encontrar plantas alternativas para a produção de borracha natural.

Hans Mooibroek, Coordenador EU-PEARLS, Wageningen UR: “É dente de leão russo, é nativo das montanhas do Cazaquistão, perto da fronteira chinesa. A Guayule deve crescer em regiões semi áridas como o sul da Espanha, ou do norte da África.”

Os investigadores queriam plantas que crescessem na Europa e fizeram borracha de boa qualidade.

Hans Mooibroek: “Este é o material que foi extraído de um campo de experimentação, na Alemanha, com dente de leão russo.

Também pode extrair a borracha em bruto, a borracha de alto peso molecular da Guayule, e então observa que tem muito boa elasticidade e um alto peso molecular, que precisa para fazer pneus.”

A fábrica Apollo Vredestein não vai mudar para estas novas fontes de borracha em breve.

Mas quando é que os pneus de dente de leão poderão estar prontos para o mercado?

Peter Snel: “Do ponto de vista tecnológico, muito em breve, de um ponto de vista de disponibilidade, da disponibilidade da borracha em si, da cultura e o processamento para a indústria no volume necessário vai levar mais algum tempo.”