A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Espanha: governo e oposição discutem amanhã moratória para despejos

Espanha: governo e oposição discutem amanhã moratória para despejos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A vaga de protestos contra as ações de despejo em Espanha levaram dois bancos do país a suspenderem as ações hipotecárias em curso.

O Kutxabank (País Basco) e o Credito Laboral (Málaga) anunciaram ontem que a medida vai visar apenas os proprietários ameaçados de expulsão da residência principal.

Um gesto que governo e oposição esperam que seja imitado pelos restantes bancos.

Mariano Rajoy e Alfredo Perez Rubalcaba reúnem-se esta segunda-feira, em Madrid, para discutir uma moratória para as pessoas mais vulneráveis, assim como uma modificação da atual lei.

Para o líder da oposição socialista: “Ninguém poderá ficar sem casa em Espanha por não poder pagar a hipoteca, em especial num momento de grandes dificuldades, dificuldades com que não contavam quando pediram um empréstimo”.

O suicídio de uma mulher na sexta-feira, no País Basco, tinha acelerado a mobilização do governo, num momento em que as ações de despejo ascendem a mais de 400 mil desde 2008.

Entre as vozes mais críticas da atual lei encontram-se os próprios juízes, como o responsável do supremo tribunal basco, Juan Luis Ibarra:

“Senti dor e vergonha, vergonha pois o sistema, e em particular o sistema judicial do qual sou responsável, não foi capaz de parar nem os abusos dos bancos nem os despejos”.

Desde há vários meses, que os proprietários em dificuldades apontam culpas aos bancos por empréstimos concedidos a pessoas sem recursos.

Um relatório do conselho do poder judicial, entretanto não aprovado, propunha mesmo a utilização do dinheiro do resgate bancário para indemnizar os proprietários lesados.