Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Cadeiras vazias" em Estrasburgo para receber o Prémio Sakharov

"Cadeiras vazias" em Estrasburgo para receber o Prémio Sakharov
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento Europeu distinguiu o ativismo político iraniano, atribuindo o Prémio Sakharov a duas das maiores vozes críticas contra o regime: a advogada Nasrin Sotoudeh e o cineasta Jafar Panahi.

Nem um, nem outro, puderam comparecer à cerimónia em Estrasburgo: a primeira encontra-se encarcerada; o segundo, em prisão domiciliária. Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu, pediu a libertação “incondicional” de ambos.

Foi Shirin Ebadi, Prémio Nobel da Paz em 2003, quem recebeu a distinção por Sotoudeh. A também advogada declarou que “as duas cadeiras vazias são o símbolo do que o regime islâmico faz com os seus cidadãos, um regime que, há mais de 30 anos, governa através da repressão do seu povo.”

Nasrin Sotoudeh encontra-se na mais tristemente célebre prisão iraniana, Evin. A defensora de inúmeros ativistas políticos esteve, recentemente, em greve de fome contra a restrição de movimentos aplicada à sua filha de 12 anos.

Jafar Panahi foi condenado, por propaganda, a não filmar durante 20 anos. O realizador de “O Balão Branco” e “O Espelho”, vencedor em Cannes e Veneza, decidou o galardão a todos “os que lutam anonimamente pela liberdade”.