Última hora

Azarov diz que Ucrânia pode passar em 2013 sem empréstimo do FMI

Azarov diz que Ucrânia pode passar em 2013 sem empréstimo do FMI
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro da Ucrânia diz que o país pode viver mais um ano sem um empréstimo do Fundo Monetário Internacional.

A declaração de Nikolai Azarov foi feita numa entrevista de fim de ano a várias televisões nacionais, durante a qual sublinhou que as medidas anticrise propostas pelo FMI a vários países europeus “mostraram-se ineficazes e conduziram à estagnação das respetivas economias”.

Azarov disse também que o país pode encontrar outros recursos financeiros, mas o economista Oleksandr Savchenko explica que “a China dá dinheiro, sob condição que comprem os seus produtos. A Rússia, se cumprirem as suas condições políticas. A única estrutura que não impõe condições, são os mercados financeiros. São o meio mais democrático, no entanto, colocam todos os riscos – económicos e políticos – nas suas taxas. É por isso que são os mais caros”.

Para o ex-ministro das Finanças Viktor Pynzenyk, o governo precisa de restaurar a confiança dos ucranianos no sistema financeiro do país. Pynzenyk afirma que “os ucranianos mantêm dezenas e centenas de milhões de poupanças em dinheiro, debaixo de colchões ou em frascos; e porquê? A resposta é clara: porque têm medo. E vão continuar a esconder esse dinheiro até que as razões desse medo e os riscos sejam eliminados”.

Descontente com o progresso do programa de reformas acordado com a Ucrânia, o FMI retém desde o fim de 2010 a segunda fatia do empréstimo prometido. Kiev diz que é possível encontrar um compromisso aceitável por ambas as partes.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.