A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Governo centro-africano acusa de rebeldes de "vontade bélica" apesar das negociações

Governo centro-africano acusa de rebeldes de "vontade bélica" apesar das negociações
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

“Nós queremos paz”. Foi com estas palavras de ordem que centenas de pessoas se reuniram na capital da República Centro-Africana, nas vésperas das negociações tripartidas entre governo, oposição e rebeldes.

A rebelião continua a avançar para a capital, Bangui, onde a segurança foi reforçada.

Na noite de sexta-feira para sábado, os rebeldes da Aliança Séléka tomaram o controlo de mais duas cidades: Kouango e Alindao, a uma centena de quilómetros de Bangui.

O ministro centro-africano da Administração Interna,
Josué Binoua, acusa a rebelião de ter uma “vontade bélica”, apesar das negociações tripartidas agendadas para terça-feira, em Libreville, no Gabão.

A Aliança Séléka, que pegou em armas a 10 de dezembro, exige a demissão do presidente, François Bozizé, e o respeito por vários acordos de paz assinados entre o governo e grupos rebeldes.