Última hora
This content is not available in your region

Relatório confirma que pobreza alastra no sul da UE

Relatório confirma que pobreza alastra no sul da UE
Tamanho do texto Aa Aa

O risco de pobreza e exclusão social está a aumentar na UE, especialmente nos países do sul como Portugal, e em particular entre os jovens, mulheres desempregadas e mães solteiras.

São conclusões do relatório de 2012 da Comisão Europeia sobre “Emprego e Dessenvolvimento Social”, apresentado, esta terça-feira, em Bruxelas.

Um dos fatores é a subida do desemprego, especialmente na Zona Euro. Os mais atingidos entre os 17 países são os do sul (no qual se inclui Portugal), cuja taxa média de desemprego é de 14,5%. Um valor que é mais do que o dobro do verificado nos países do centro e norte da UE.

O Comissário europeu para o Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão admite que a austeridade deve ser suavizada.

“É verdade que as políticas sociais por si só não serão capazes de melhorar a situação social dos países do sul da Europa. Os membros da troika precisam de trabalhar em conjunto para chegar a acodo sobre maior flexibilidade do que a existente passado, em termos dos prazos e do tipo de medidas de consolidação fiscal”, disse László Andor.

Menos receita via impostos levou ao enfraquecimento dos sistemas de segurança social. Segundo o relatório, essa combinação fez diminuir o rendimento disponível das famílias entre 2009 e 2011.

O caso da Grécia é o mais grave com menos 17%, seguindo-se a Espanha com menos 8%, Chipre com menos 7%, e Irlanda com menos 5%.

A Rede Europeia Anti-Pobreza, que reúne centenas de organizações não governamentais, defende a criação de um seguro europeu de desemprego.

“Temos apelado à criação de um sistema de rendimento mínimo adequado, algo com que a UE se comprometeu desde 1992. Esta poderia ser uma boa maneira da UE mostrar que está a fazer alguma coisa para beneficiar as pessoas”, disse a coordenador política, Sian Jones.

A correspondente da euronews em Bruxelas, Isabel Marques da Silva, refere que “em Fevereiro, a Comissão Europeia pretende apresentar um pacote de medidas de investimento social, com linhas de orientação sobre fontes de rendimento mínimo tais como incentivos aos negócios de cariz social”.