Última hora
This content is not available in your region

Três ativistas curdas assassinadas em Paris

Três ativistas curdas assassinadas em Paris
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de curdos denunciam em Paris o assassinato de três ativistas na capital francesa.

Esta noite, três mulheres foram encontradas mortas, com uma bala na cabeça, no Centro de Informação do Curdistão. Entre as vítimas, encontra-se a representante em França do Congresso nacional do Curdistão, Fidan Dogan, e Sakine Cansiz, apresentada como “uma das fundadoras do PKK”, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, ilegalizado na Turquia.

A federação das associações curdas de França apelou a todos os curdos da Europa para “se unirem em Paris para denunciar o ataque”.

A investigação foi confiada à secção antiterrorista da polícia francesa.

O ministro do Interior frisou a “determinação das autoridades” em elucidar o crime. Manuel Valls explicou que “três mulheres foram abatidas, sem dúvida executadas, o que é algo grave e totalmente inaceitável”.

Os assassinatos acontecem depois dos meios de comunicação turcos terem anunciado um acordo entre Ancara e o líder separatista curdo Abdullah Öcalan, detido desde 1999, para pôr fim às hostilidades que duram há trinta anos.