Última hora
This content is not available in your region

França coloca ameaça terrorista no máximo

França coloca ameaça terrorista no máximo
Tamanho do texto Aa Aa

Bombardeamentos franceses, contraofensiva governamental e recuo de rebeldes islamitas no no Mali ao mesmo tempo que aumenta a ameaça terrorista contra a França.

Ao segundo dia de intervenção francesa no país africano, o grupo Ansar Dina, pertencente aos rebeldes e com ligações à rede terrorista Al-Qaida, declarou que os cidadãos franceses vão sofrer as consequências em todo o mundo pelo auxílio militar francês ao governo de Bamaco, que permitiu ao exército maliano recuperar a povoação estratégica de Konna.

Desde sexta-feira mais de 100 guerrilheiros terão sido abatidos, de acordo com fontes oficiais Malianas. Do lado gaulês um piloto de helicópteros perdeu a vida.

Mas as preocupações de Paris não se centram no apenas no Mali. “A luta contra o terrorismo requer também medidas de precaução aqui em França. Pedi ao primeiro-ministro para reforçar o sistema de alerta de segurança “vigipirate” e avançar com a vigilância nos edifícios públicos e infraestruturas de transportes”, disse o presidente francês, François Hollande.

Os Estados ocidentais africanos anteciparam o envio de meios militares, como a Costa do Marfim. O mesmo acontece com a União Europeia que vai mobilizar 200 soldados.

O plano de apoio militar ao Mali estava previsto para setembro com o apoio do conselho de segurança das Nações Unidas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.