Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Operação na Somália não foi surpresa para milícia Al-Shabab

Operação na Somália não foi surpresa para milícia Al-Shabab
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os islamitas somalis do confirmaram a morte de mais um militar francês.

O soldado dado como desaparecido após a
operação militar, deste fim de semana, para libertar um refém não resistiu aos ferimentos, segundo a milícia com ligações à Al-Qaeda.

A operação conduzida pela Direção-Geral da Segurança Exterior tinha por objetivo libertar Denis Allex, um agente dos serviços secretos sequestrado há mais de três anos na Somália.

Pelo menos cinco helicópteros e mais de meia centena de homens foram mobilizados.
A operação contou, ainda, com o apoio técnico dos Estados Unidos.

A resistência encontrada, no entanto, à chegada a Bula Marir, a pouco mais de uma centena de quilómetros de Mogadíscio conduziu, segundo as forças francesas, ao fracasso da missão.

Mas há outras explicações. Desde logo, a ausência do fator surpresa. As forças especiais desembarcaram a cerca de três quilómetros do local onde se deu a operação, permitindo, que os terroristas fossem informados atempadamente.

Durante os combates terão sido mortas 27 pessoas, a maioria insurgentes.

O destino do refém ainda não é claro. O governo francês deu o agente secreto como morto, uma informação já desmentida pela milícia Al-Shabab. Como moeda de troca, o grupo radical exige a libertação de todos os militantes detidos.