Última hora
This content is not available in your region

Somalis regressam ao futebol sem correr risco de vida

Somalis regressam ao futebol sem correr risco de vida
Tamanho do texto Aa Aa

Já foi um cenário trágico. Durante a ocupação do grupo extremista islâmico al-Shabaab, ligado à al-Qaeda, o Estádio Nacional de Mogadíscio, na Somália, era utilizado para treinos militares e para a execução de prisioneiros. A prática do futebol era totalmente interdita. Depois da expulsão do movimento radical, em 2011, as coisas mudaram. Pouco a pouco, o estádio está a ser renovado.

O treinador do Clube de Futebol de Elman, que aguarda o fim da renovação para utilizar a infraestrutura, afirma que “apesar do caos em que a cidade ainda vive, as partidas continuarão a ser disputadas naquele local. A segurança regressou. Nada voltará a ser como dantes.”

A FIFA patrocinou as obras de recuperação. Enquanto estas não terminam, o Elman continua a utilizar o Estádio Universitário, preparando o caminho para que, um dia, a seleção somali possa atingir um desígnio antigo: competir na Taça das Nações Africanas.