Última hora
This content is not available in your region

Crise de reféns na Argélia acaba em banho de sangue

Crise de reféns na Argélia acaba em banho de sangue
Tamanho do texto Aa Aa

Acabou num banho de sangue o assalto final das forças especiais argelinas sobre o comando islamita com ligações à Al-Qaida que desde quarta-feira mantinha reféns estrangeiros no campo de extração de gás, em In Amenas a 1300 quilómetros de Argel.

Mais 7 reféns perderam a vida. Terão sido executados pelos islamitas em represália pelo ataque do exército, que acabou por abater os 11 militantes barricados.

Antes de a operação ser dada como concluída, as forças de segurança limparam o local das minas que os militantes colocaram para se proteger de uma investida militar.

A verdadeira amplitude da crise que durou quatro dias ainda está por apurar. Terão morrido três dezenas de reféns estrangeiros e outros estarão ainda desaparecidos. No início, na quarta-feira, estavam nas instalações 600 pessoas. A ação militar começou um dia depois. Este sábado, foram libertados os últimos reféns – dezasseis – entre eles um português.