Última hora
This content is not available in your region

Fim do serviço militar obrigatório em referendo na Áustria

Fim do serviço militar obrigatório em referendo na Áustria
Tamanho do texto Aa Aa

Marchar para o fim do serviço militar obrigatório ou para a profissionalização das forças armadas? Esta é a questão que os austríacos respondem este domingo em referendo. A população está dividida.

Na Áustria os jovens podem trocar o serviço militar por serviço comunitário, um aspeto que está a pesar na decisão de muitos cidadãos. Mesmo no seio no governo de coligação as posições são antagónicas. “O serviço militar abre muitas questões. Existem pessoas suficientes, é mais caro, o perfil dos soldados será o melhor? Mantenho a opinião. Devemos ter um exército com as nossas pessoas para as nossas pessoas e deixemos ao mesmo tempo o serviço comunitário crescer”, diz Michael Spindelegger, vice-chanceler e ministro dos Negócios Estrangeiros, do Partido Popular.

Uma posição conservadora que esbarra na opinião do ministro da Defesa, social-democrata. “Queremos continuar com um sistema conservador em que milhares de jovens têm de cumprir um serviço obrigatório ou queremos a vida moderna com voluntários motivados e um serviço militar profissional?”, questiona Norbert Darabos.

Um estudo de opinião indica que a Áustria pode contrariar a tendência europeia. A maioria – 48 % – defende a conscrição enquanto 40 % é a favor de forças armadas profissionais.
A chave estará na mão dos 12 % de indecisos.