A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Beijo gay frente ao Parlamento russo

Beijo gay frente ao Parlamento russo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os beijos do protesto frente ao Parlamento russo acabaram ao murro e ao pontapé entre elementos da comunidade homossexual e homofóbicos.

Os manifestantes participavam num protesto contra um projeto de lei do governo que proíbe a propaganda gay.

Elena Kostyuchenko, ativista dos direitos gays e jornalista do jornal Novaya Gazeta diz que a legislação é absolutamente irrealista e nem define o que é propaganda gay. As razões são compreensíveis porque não há propaganda gay. “

Esta ativista ortodoxa diz que Moscovo não é Sodoma. “Estamos aqui para apoiar as pessoas normais, saudáveis ​​que querem criar estáveis famílias no espírito das tradições ortodoxas, fraternidade, união popular.

A lei pretende punir com multas na ordem dos dois mil euros toda e qualquer propaganda sobre gays, lésbicas, bissexuais e transexuais.

Considerado um dos países mais homofóbicos da Europa, a Rússia descriminalizou a homossexualidade somente em 1993. No ano passado, o país proibiu a realização da parada do orgulho gay pelos próximos cem anos.