A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Saco azul" do PP está a provocar terramoto político em Espanha

"Saco azul" do PP está a provocar terramoto político em Espanha
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O El País provocou um terramoto político em Espanha. O jornal divulgou a existência de um “saco azul” do Partido Popular, que terá servido, durante vários anos, para pagar ‘complementos de salário’ às cúpulas do PP. É o caso “Barcénas”. O diário publicou mesmo um caderno de contas manuscrito, do antigo tesoureiro do partido, Luís Barcénas, onde constam os movimentos da conta secreta e os nomes dos beneficiários.

A secretária-geral do Partido, Maria Dolores de Cospedal, cujo nome figura na lista, desmente: “Este partido desmente categoricamente – categoricamente – o conteúdo desses supostos documentos que foram publicados. E desmente-os categoricamente, em todos os termos. Falei com o presidente do governo, como é lógico, e tenho que dizer-vos que está muito tranquilo.”

Tranquilo ou, pelo menos, silencioso. Mariano Rajoy, acusado de ter recebido mais de 25 mil euros de ‘complementos’ anuais durante vários anos, não faz comentários. O que não agrada ao PSOE, cujo líder exige que “o presidente do governo que se explique, pessoalmente. Porque esta informação o afeta, a ele. E que responda a duas perguntas simples: cobrou esses salários, sim ou não? E se os cobrou, cobrou-os às escondidas ou declarou-os? Com que credibilidade vem esta senhora explicar-nos que não há nada, que todos mentiram, se ela passou três anos a tentar paralisar a investigação?!”

Os cadernos de contas agora publicados pertencem alegadamente a Luís Barcénas. Segundo a justiça espanhola, 22 milhões de euros transitaram pela conta do ex-tesoureiro do PP na Suíça. Dinheiro oriundo de comissões e doações de empresários, sobretudo do outrora florescente setor da construção civil.