A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Sexta-feira de confrontos em perspetiva na Tunísia

Sexta-feira de confrontos em perspetiva na Tunísia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A crise política na Tunísia deve continuar a agravar-se esta sexta-feira com as greves anunciadas e os protestos que devem rodear o funeral do responsável da oposição, assassinado a meio da semana.

A morte de Chikri Belaid trouxe milhares de pessoas para a rua em protestos, por vezes violentos, que devem subir de tom durante as cerimónias fúnebres.

Numa tentativa de apaziguar as tensões, o primeiro-ministro islamita anunciou a dissolução do governo, que ainda de terá de ser aprovada pelo parlamento, mas foi desautorizado pelo seu partido, o Ennahada, que domina a cena política desde a revolta que lançou a Primavera Árabe há dois anos.

Os sindicatos tunisinos apelaram a uma greve geral, esta sexta-feira, que promete ser terreno fértil para mais confrontos entre oposição secular e islamitas no poder.

A crise política agrava ainda mais a situação da frágil economia tunisina que depende em larga medida do turismo.