Última hora
This content is not available in your region

Líderes europeus manifestam respeito pela decisão do Papa

Líderes europeus manifestam respeito pela decisão do Papa
Tamanho do texto Aa Aa

O anúncio da renúncia do Papa apanhou de surpresa não só o Vaticano, mas todo o mundo e as reações não se fizeram esperar.

Na Alemanha, país de onde é originário, a chanceler Angela Merkel não poupou elogios a Bento XVI: “Quando Joseph Ratzinger foi eleito como chefe da Igreja Católica, há quase oito anos, nós, na Alemanha, estávamos muito orgulhosos do nosso compatriota, o primeiro, desde há muitos séculos, a exercer o cargo de Papa. Desejámos-lhe sucesso. Se o Papa, por si próprio, após uma grande reflexão, chegou à conclusão de que já não tem força suficiente para levar a cabo a sua missão, então, merece todo o nosso respeito.”

Em França, o presidente disse que a decisão do Santo Padre é “eminentemente respeitável”. François Hollande, no entanto, não se alargou em comentários: “A República saúda o Papa que toma esta decisão, mas não faz mais comentários sobre algo que é, antes de mais, do foro da igreja.”

Do foro da igreja mas não só. O Papa, recorde-se, é o chefe da Igreja Católica mas também o chefe do Estado do Vaticano.