Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Turistas incrédulos com renúncia do papa

Turistas incrédulos com renúncia do papa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Assim que a notícia da renúncia do papa se tornou pública, a Praça de São Pedro, no Vaticano, encheu-se de câmaras de televisão, mas também turistas e fiéis, a maioria incrédula, como pôde constatar a jornalista da euronews, no Vaticano, Loredana Pianta.

“Estávamos à procura do nosso grupo, do qual nos tínhamos perdido e, de repente, apercebemo-nos que havia muitas câmaras aqui e foi então que percebemos: ‘Meu Deus! Estamos a assistir a um momento histórico’!”, congratula-se uma turista americana.

Uma mulher italiana emite reservas: “Talvez tenha sido forçado a demitir-se. É algo que não acontecia há cerca de 500 anos, pelo que ouvi. É algo forte!”

E um jovem italiano afirma: “Parece-me uma grande decisão. Este momento obriga-nos todos a refletir.”

Para uma freira, presente na Praça de São Pedro, trata-se de uma verdadeira surpresa: “Não estávamos nada à espera. Não estamos contentes porque gostávamos muito dele. Encomendamo-nos a Deus. Este mundo está às avessas.”

Uma turista sul-americana já está, por seu lado, de olhos postos no futuro: “Diziam que quando o cardinal Ratzinger saísse, viria um papa negro. Então, estamos esperando o papa negro”

Enquanto o próximo papa não é eleito, o atual ainda tem uma agenda a cumprir. A começar pelo, agora tão esperado, discurso da cerimónia da Quarta-Feira de Cinzas, como refere a jornalista da euronews: “Uma notícia incrível: o mundo católico, e não só, ainda tem dificuldade em acreditar que o papa possa ter dado este passo e agora todos esperamos para ouvir diretamente da sua boca, as razões desta decisão.”