A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Patrão da Titan International ataca modelo produtivo francês

Patrão da Titan International ataca modelo produtivo francês
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Em vez de um simples não à compra da fábrica da Goodyear em Amiens, o presidente da Titan International criou polémica ao atacar a produtividade em França.

Na carta enviada a Paris, Maurice Taylor, patrão do terceiro maior fabricante norte-americano de pneus, afirmou que seria “estúpido” comprar uma empresa em que “os assalariados têm salários elevados mas não trabalham mais do que três horas. Têm uma hora para descanso e para o almoço, discutem durante três horas e trabalham três. Disse-o aos sindicatos franceses e eles responderam-me que é assim em França”.

Para a CGT a carta é um “insulto” e Taylor devia estar num “hospital psiquiátrico”. O sindicalista Mickael Wanen acrescenta: “Taylor diz que os funcionários da Goodyear ganham fortunas, mas, para quem trabalha duramente em turnos rotativos de oito horas, ganhar 1500 euros por mês não é uma fortuna”.

O ministro francês da Indústria, Arnaud Montebourg, recusou comentar, para não afetar os interesses do país.

O governo francês tentou reanimar o interesse da Titan pela fábrica da Goodyear em Amiens, no norte de França, procurando salvar 1200 empregos. A Titan já esteve interessada mas a tentativa de compra foi bloqueada pelos sindicatos.

Agora, a carta de Taylor relançou o debate sobre o declínio da economia francesa, que os economistas dizem ser o resultado de uma lei do trabalho rígida e dos elevados custos da mão-de-obra.