Última hora
This content is not available in your region

África do Sul suspende polícias acusados da morte de taxista moçambicano

África do Sul suspende polícias acusados da morte de taxista moçambicano
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia sul-africana suspendeu hoje os oito agentes alegadamente envolvidos na morte de um taxista moçambicano na segunda-feira passada.

O ato, que está a ser investigado pela justiça, foi igualmente condenado pelo presidente Jacob Zuma e pela oposição do país, levando ao afastamento temporário do chefe da esquadra de Daveyton, no leste de Joanesburgo.

Um residente afirma: “penso que o governo tem de tomar medidas duras, as pessoas têm de ser tratadas com dignidade, independentemente da sua origem, quer sejam sul-africanos ou cidadãos de outros países”.

Outro residente considera que, “a violência policial tem de parar pois a polícia está a abusar das suas funções, como se vê no vídeo ninguém pôde fazer nada pois os polícias pensam que estão acima da lei”.

O vídeo da detenção de Mido Macia, de 27 anos, mostra o taxista atado a uma viatura de polícia, horas antes de ser encontrado morto na esquadra de Daveyton, com feridas na cabeça.

Segundo a organização Amnistia Internacional, entre abril de 2011 e março de 2012 a polícia recebeu queixas relativas à morte de 720 pessoas sob custódia policial ou na sequência de uma intervenção das autoridades.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.