Última hora
This content is not available in your region

Resgate do Chipre deve dominar reunião do Eurogrupo

Resgate do Chipre deve dominar reunião do Eurogrupo
Tamanho do texto Aa Aa

É esperada que a reunião de segunda-feira dos ministros das finanças do Eurogrupo assinale o início das negociações do resgate financeiro do Chipre. No horizonte está um acordo com a Troika na ordem dos 17 mil milhões de euros, o qual Bruxelas espera ver assinado até ao final de março.

O novo presidente do Chipre mostra-se aberto ao acordo, mas não a qualquer preço. Nicos Anastasiades mostrou determinação e pouca pressa de aceitar o resgate durante a cerimónia da tomada de posse na quinta-feira.

“Vamos negociar o fecho de um acordo de empréstimo assim que for possível. Qualquer referência a um alegado corte na despesa pública ou nos depósitos bancários não será aceite e não será uma prova de solidariedade. E esta é uma questão que nem está aberta a discussão”, disse Nicos Anastasiades, reforçado já esta sexta-feira por palavras similares proferidos pelo novo ministro das finanças cipriota, Michael Sarris.

Esta será a primeira reunião do Eurogrupo onde estará representado o novo governo de coligação do Chipre, a terceira menor economia da Zona Euro.

O pedido de ajuda ao Fundo de Resgate Europeu é responsabilidade do anterior executivo e foi efetuado em junho passado. Destinava-se sobretudo recuperar o sistema bancário cipriota. Face às pressões de Alemanha e França para a assinatura do acordo, resta saber, agora, quais as ideias concretas do novo governo do Chipre.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.