Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Pontificado de Francisco começa com marco ecuménico histórico

Pontificado de Francisco começa com marco ecuménico histórico
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O poder do Papa refletido no poder de quem o foi saudar ao Vaticano. O arranque deste novo pontificado assumiu contornos históricos no diálogo ecuménico, através da presença do Patriarca Bartolomeu de Constantinopola, a liderar a representação da Comunhão Ortodoxa, após quase mil anos de cisão entre Igrejas. Bartolomeu foi conduzido ao altar durante a celebração religiosa para encontrar o Bispo de Roma, como Francisco prefere ser apresentado, num gesto único em toda esta cerimónia.

As saudações aconteceram no interior da Basílica de São Pedro, onde o Papa recebeu inúmeros presidentes, a começar pelo italiano, Giorgio Napolitano. As monarquias fizeram-se representar em peso: Felipe e Letizia, de Espanha, mas também Alberto II e Paola, da Bélgica, e Alberto II do Mónaco, são alguns dos exemplos.

O controverso chefe de Estado do Zimbabué, Robert Mugabe, foi acolhido pelo antigo arcebispo de Buenos Aires. Facto curioso, possível nestes eventos: apesar de estar impedido de pisar solo europeu, mas não o Vaticano, Mugabe foi seguido, nos cumprimentos diplomáticos, precisamente pelos líderes europeus Herman Van Rompuy e Durão Barroso.

O vice-presidente Joe Biden assegurou a presença dos Estados Unidos. Também o Irão se fez representar através do ministro dos Negócios Estrangeiros, Ali Akhbar Salehi.

Cavaco Silva, igualmente presente, anunciou que irá convidar o Papa Francisco, que considera constituir “uma nova era na Igreja”, a participar no centenário das Aparições de Fátima, em 2017.