Última hora
This content is not available in your region

Memorial da controvérsia no México

Memorial da controvérsia no México
Tamanho do texto Aa Aa

Acabou de ser inaugurado na Cidade do México e já está no centro de uma controvérsia.

O memorial às vítimas do crime organizado foi construído pelo anterior executivo contra a vontade dos familiares dos cerca de 100 mil mortos e desaparecidos, contabilizados entre 2006 e 2012.

Um monumento orçado em cerca de dois milhões de euros, dinheiro apreendido aos cartéis de droga.

“Consideramos que as razões que levaram à construção deste memorial não deveriam ter existido. Ninguém devia sofrer com a perda de um familiar devido à violência” afirma o ministro do Interior, Miguel Osorio Chong.

O facto de a estrutura não contemplar o nome de mortos e desaparecidos e a insegurança no país são algumas das críticas feitas pelos familiares das vítimas:

“Com que ajuda podemos contar? Não há segurança e os responsáveis dizem apenas: sim, vamos ver isso, mas na prática não fazem nada” refere Yolanda Colin.

A estrutura está dividida em várias paredes de aço com poemas e frases de escritores. Os nomes das vítimas podem ser acrescentados, posteriormente, mas para isso é necessário saber ao certo quantas são. Isto porque os números disponibilizados mais não são do que uma estimativa.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.