A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Memorial da controvérsia no México

Memorial da controvérsia no México
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Acabou de ser inaugurado na Cidade do México e já está no centro de uma controvérsia.

O memorial às vítimas do crime organizado foi construído pelo anterior executivo contra a vontade dos familiares dos cerca de 100 mil mortos e desaparecidos, contabilizados entre 2006 e 2012.

Um monumento orçado em cerca de dois milhões de euros, dinheiro apreendido aos cartéis de droga.

“Consideramos que as razões que levaram à construção deste memorial não deveriam ter existido. Ninguém devia sofrer com a perda de um familiar devido à violência” afirma o ministro do Interior, Miguel Osorio Chong.

O facto de a estrutura não contemplar o nome de mortos e desaparecidos e a insegurança no país são algumas das críticas feitas pelos familiares das vítimas:

“Com que ajuda podemos contar? Não há segurança e os responsáveis dizem apenas: sim, vamos ver isso, mas na prática não fazem nada” refere Yolanda Colin.

A estrutura está dividida em várias paredes de aço com poemas e frases de escritores. Os nomes das vítimas podem ser acrescentados, posteriormente, mas para isso é necessário saber ao certo quantas são. Isto porque os números disponibilizados mais não são do que uma estimativa.